Um Poema posto à Janela

Um Poema posto à janela

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~************~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

poema janela 13

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~************~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~************~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~************~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~************~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~************~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~************~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~************~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~************~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~************~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~************~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~************~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~************~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

2 respostas a Um Poema posto à Janela

  1. Estes cortinados abrem-se para uma outra margem da vida, que raramente olhamos.
    Bem-haja, Maria José Almeida

    • mjalmeyda diz:

      Hoje, vou reafirmar aquilo que já lhe fiz saber, na altura.
      Não há dúvida que a tonalidade do cortinado, ao ser fotografada, mudou do branco para a cor que apresenta e esta, assim como a leveza do tecido e até a adecoração do mesmo, afasta-me do ruído exterior dando-me, assim, um ambiente propício para entrar na alma do poema que é afagado pelo próprio cortinado.
      Continuo profundamente satisfeita, porque as nossas opiniões têm muito em comum.
      Obrigada, mais uma vez.
      mjalmeyda

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s